segunda-feira, 13 de junho de 2016

As festas juninas SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO - são eventos tradicionais do calendário brasileiro e um bom retrato da diversidade cultural do país. Mas sua origem remete às festas populares europeias, principalmente de Portugal, que vieram para o Brasil durante o processo de colonização. NA BAGAGEM, OS PORTUGUESES TROUXERAM AS COMEMORAÇÕES DE ALGUNS SANTOS CATÓLICOS COMO SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO, CELEBRADOS NO MÊS DE JUNHO.

As festas juninas
SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO


As festas juninas são eventos tradicionais do calendário brasileiro e um bom retrato da diversidade cultural do país. Mas sua origem remete às festas populares europeias, principalmente de Portugal, que vieram para o Brasil durante o processo de colonização.
NA BAGAGEM, OS PORTUGUESES TROUXERAM AS COMEMORAÇÕES DE ALGUNS SANTOS CATÓLICOS COMO SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO, CELEBRADOS NO MÊS DE JUNHO.


A FESTA JUNINA
O mês de Junho é caracterizado por danças, comidas típicas, bandeirinhas, além das peculiaridades de cada região.
A  FESTA JUNINA  QUE SE INICIA NO DIA 12 DE JUNHO, VÉSPERA DO DIA DE SANTO ANTÔNIO E ENCERRA NO DIA 29, DIA DE SÃO PEDRO.
O ponto mais elevado da festa ocorre nos dias 23 e 24, o dia de São João.
Durante os festejos acontecem quadrilhas, forrós, leilões, bingos e casamentos caipiras.
Os portugueses foram os responsáveis por trazê-la
 ao Brasil, e logo foi inserida aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.


Cada santo com sua fogueira 

Cada santo tem a sua fogueira. A fogueira de Santo Antônio tem a base quadrara, conhecida como chiqueirinho. A de São João tem a base redonda, o que dá à fogueira um formato cônico. Já a de São Pedro tem a base triangular.


Quadrilha, homenagem aos santos juninos
A quadrilha tem suas origens na dança de salão francesa em voga entre o início do século XIX e a Primeira Guerra Mundial. Passou a ser dançada ao ar livre, nas festas juninas, em louvor a São João, Santo Antônio e São Pedro, para agradecer as boas colheitas na roça.
A chamada quadrille teria vindo para o Brasil por causa do interesse da classe média e das elites portuguesas e brasileiras do século XIX por tudo o que fosse moda em Paris. Ela se popularizou, fundindo-se com danças brasileiras e florescendo com maior intensidade no Brasil rural.


A BRINCADEIRA DO PAU-DE-SEBO 

Diferente do utilizado para os santos juninos, o pau-de-sebo é um mastro de madeira envernizada de cerca de cinco metros de altura. Seu preparo é feito com muito cuidado. Primeiro se tiram todos os nódulos da madeira para que ele seja lixado, e só então é passado o sebo de boi ou cera. A brincadeira consiste em tentativas de subir ao topo e garantir prendas.

BALÕES E FOGOS DE ARTIFÍCIO 

O uso de balões são um costume trazido pelos portugueses para o Brasil. No nosso país, ele está relacionado com o uso tradicional da fogueira e dos seus efeitos visuais. De cinco a sete balões eram soltos para avisar que a festança estava para começar. Os fogos de artifício, por sua vez, servem para despertar São João Batista, de acordo com a tradição popular.


TRÊS SANTOS SÃO EFUSIVA E INTENSAMENTE COMEMORADOS EM JUNHO, EM TODO O BRASIL, DESDE O PERÍODO COLONIAL:
SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO E SÃO PEDRO

A FESTA DE SANTO ANTÔNIO:
13 DE JUNHO
Fernando de Bulhões (verdadeiro nome de Santo Antônio), nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, numa família de posses.
Aos 15 anos entrou para um convento agostiniano, primeiro em Lisboa e depois em Coimbra, onde provavelmente se ordenou.
Em 1220 trocou o nome para Antônio e ingressou na Ordem Franciscana, na esperança de, a exemplo dos mártires, pregar aos sarracenos no Marrocos.. Seguiu para o atual Marrocos para desenvolver trabalho missionário, mas sua saúde não se adaptou ao clima africano. Após um ano de catequese nesse país, teve de deixá-lo devido a uma enfermidade e seguiu para a Itália .Adoeceu e regressou à Europa, fixando-se na Itália. Lá, demonstrou grande talento para a oratória, o qual desenvolveu praticando ao máximo durante nove anos.
A PROFUNDIDADE DOS TEXTOS DOUTRINÁRIOS DE SANTO ANTÔNIO FEZ COM QUE EM 1946 O PAPA PIO XII O DECLARASSE DOUTOR DA IGREJA.  NO ENTANTO, O MONGE FRANCISCANO CONHECIDO COMO SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA OU DE LISBOA TEM SIDO, AO LONGO DOS SÉCULOS, OBJETO DE GRANDE DEVOÇÃO POPULAR.
Sua veneração é muito difundida nos países latinos, principalmente em Portugal e no Brasil.
Santo Antônio- conhecido como santo casamenteiro, santo que protege e preserva o amor e também um santo que encontra coisas . Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada.
.PADROEIRO DOS POBRES E CASAMENTEIRO, É INVOCADO TAMBÉM PARA O ENCONTRO DE OBJETOS PERDIDOS.
Em 13 de junho, as igrejas costumam distribuir os tradicionais pãezinhos de Santo Antônio. Em vez de comê-lo, o pão deve ficar guardado em uma lata de mantimento para garantir fartura de comida durante o ano.
Outra das várias simpatias de Santo Antônio consiste em quebrar um ovo gelado dentro de um copo branco com água. No dia seguinte, antes de o nascer do sol, se o copo estiver coberto por uma névoa branca é sinal de que quem fez a simpatia vai casar antes do dia de Santo Antônio do ano seguinte.

DEVOÇÃO DE SANTO ANTÔNIO:
Santo Antônio e menino Jesus
Normalmente representado em imagens segurando o menino Jesus, ele é o famoso santo casamenteiro.
É invocado para auxililar solteiras e solteiros a encontrarem seu par ideal "arrumar casamento".
INCLUSIVE, HÁ VÁRIAS SIMPATIAS PARA “PRESSIONÁ-LO” A AJUDAR OS DESESPERADOS: é possível deixá-lo de cabeça para baixo ou, então, separá-lo do menino Jesus até o pedido ser atendido.
A conta de afazeres do padroeiro dos pobres já é grande, mas ele ainda encontra tempo para ajudar quem quer encontrar objetos perdidos.

É também Patrono dos Aflitos.


A FESTA DE SÃO JOÃO
24 de junho

 A TRADIÇÃO DE COMEMORAR O DIA DE SÃO JOÃO VEIO DE PORTUGAL, ONDE AS FESTAS SÃO CONHECIDAS PELO NOME DE SANTOS POPULARES E CORRESPONDEM A DIVERSOS FERIADOS MUNICIPAIS: SANTO ANTÔNIO, EM LISBOA; SÃO PEDRO, NO SEIXAL; SÃO JOÃO, NO PORTO, EM BRAGA E EM ALMADA.


A fogueira de São João 
São João foi primo de segundo grau de Jesus. Ele ainda estava na barriga da mãe, Isabel, quando esta prometeu à prima, Maria, avisá-la assim que ele nascesse. Na noite em que deu à luz São João, ergueu um mastro em frente a sua casa, iluminando-o com uma grande fogueira. Daí surgiu o costume de acender uma fogueira durante a festa junina .
Há quem diga que essa história não passa de uma lenda católica que "cristianizou" as fogueiras, que fazia parte da antiga tradição pagã de celebrar o solstício de verão e que aos poucos teria se tornado, na Idade Média, um atributo da festa de São João Batista. Entre os costumes católicos, a festa junina é marcada pelo levantamento do mastro de São João.


A FESTA DE SÃO JOÃO BRASILEIRA É TÍPICA DA REGIÃO NORDESTE.
-Em Campina Grande, na Paraíba, a festa junina atrai milhares de pessoas.
-A canjica e a pamonha são comidas tradicionais da festa.
-O lugar onde ocorrem os festejos juninos é chamado de arraial, onde há barracas ou um galpão adaptado para a festa.
- As festas de São João são ainda comemoradas em alguns países europeus católicos, protestantes e ortodoxos.
- Em algumas festas europeias de São João são realizadas a fogueira de São João e a celebração de casamentos reais ou encenados, semelhantes ao casamento fictício, que é um costume no baile da quadrilha nordestina.


A FESTA DE SÃO PEDRO 


SÃO PEDRO, O FUNDADOR DA IGREJA CATÓLICA
A festa de São Pedro é uma das mais comemoradas entre as chamadas “festas juninas”. Normalmente, nestas celebrações são feitas muitas quermesses, arraias e grandes fogueiras, assim como acontece no Dia de São João.
ORIGEM DO DIA DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO
A origem desta celebração é muito antiga e, supostamente, ocorre em 29 de junho pois teria sido a data do aniversário de morte e do translado das relíquias de ambos os santos.
Nesta data ainda é considerada o Dia do Papa, pois São Pedro, segundo os católicos, foi o primeiro Papa da Igreja, além de ter sido o que permaneceu por mais tempo com esse título (37 anos).

SÃO PEDRO, O APÓSTOLO E O PESCADOR DO LAGO DE GENEZARETH, CATIVA SEUS DEVOTOS PELA HISTÓRIA PESSOAL.
Homem de origem humilde, ele foi Apóstolo de Cristo e depois encarregado de fundar a Igreja Católica, tendo sido seu primeiro Papa.
São Pedro também tem parte de sua vida registrada pelo Novo Testamento. Era um pescador no mar da Galiléia, casado, irmão de Santo André. Juntamente com este, foi chamado por Cristo para tornar-se "pescador de homens". Seu nome original era Simão, mas Jesus deu-lhe o título de Kephas, que, em língua aramaica, significa "pedra", e cujo equivalente grego tornou-se Pedro.

O nome se origina quando Simão declarou "Tu és Cristo, o filho de Deus vivo", ao que Jesus respondeu "Tu és Pedro e sobre essa Pedra edificarei minha Igreja", entregando-lhe as "chaves do reino do Céu" e o poder de "ligar e desligar". Os evangelhos dão testemunho da posição de destaque ocupada por Pedro entre os discípulos de Jesus. No entanto, mesmo assegurando que jamais trairia Cristo, negou conhecê-lo por três vezes, quando seu mestre foi preso. Após a ressurreição, Pedro foi o primeiro apóstolo a quem Cristo apareceu e, depois disso, ele se tornou chefe da comunidade cristã.

A tradição, que não está relatada explicitamente no Novo Testamento, conta que Pedro teria sido crucificado em Roma. O fato tem sido muito questionado, mas as pesquisas arqueológicas têm contribuido para confirmar a tradição, deixando claro que Pedro foi martirizado a mando de 
Nero.

Conta-se que ele pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, para não igualar-se a Jesus. No local onde foi sepultado, segundo a tradição, ergueu-se a basílica do Vaticano, mas as escavações feitas no local não são conclusivas quanto ao fato de
ali ser ou não o túmulo do santo.
Considerado o protetor das viúvas e dos pescadores, São Pedro é festejado no dia 29 de junho, com a realização de grandes procissões marítimas em várias cidades do Brasil. Em terra, os fogos e o pau-de-sebo são as principais atrações de sua festa.
Depois de sua morte, São Pedro, segundo a tradição católica, foi nomeado chaveiro do céu. Assim, para entrar no paraíso, é necessário que o santo abra suas portas.
Também lhe é atribuída a responsabilidade de fazer chover. Quando começa a trovejar, e as crianças choram com medo, é costume acalmá-las, dizendo: "É a barriga de São Pedro que está roncando" ou "ele está mudando os móveis de lugar".
No dia de São Pedro, todos os que receberam seu nome devem acender fogueiras na porta de suas casas. Além disso, se alguém amarrar uma fita no braço de alguém chamado Pedro, ele tem a obrigação de dar um presente ou pagar uma bebida àquele que o amarrou, em homenagem ao santo.

ACALANTO DE SÃO PEDRO
Acalanto registrado em Cunha (São Paulo):
Acordei de madrugada,
fui varrê a Conceição.
Encontrei Nossa Senhora
com dois livrinhos na mão.
Eu pedi um pra ela,
ela me disse que não;
eu tornei a lhe pedir,
ela me deu um cordão.
Numa ponta tinha São Pedro,
na outra tinha São João,
no meio tinha um letreiro
da Virgem da Conceição.


A FESTA DE SÃO PEDRO
Em homenagem ao santo, acendem-se fogueiras, erguem-se mastros com sua bandeira e queimam-se fogos; Também se fazem procissões terrestres, organizadas pelas viúvas, e fluviais, pois, como vimos, São Pedro é o protetor dos pescadores e das viúvas.
Em várias regiões do Brasil, a brincadeira mais comum na festa é a do pau-de-sebo.

Nesta festa lembramos todas aquelas discípulas e discípulos de Jesus que deram a vida em fidelidade ao Projeto do Pai: “Deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra a nós. Corramos com perseverança, mantendo os olhos fixos em Jesus, autor e consumador da fé. Levantem as mãos cansadas e fortaleçam os joelhos enfraquecidos. Endireitem os caminhos por onde terão que passar, a fim de que o aleijado não manque, mas seja curado” (Hb 12,1-2.12-13).


Oração

Peçamos ao Senhor, pela intercessão de seus santos que sua Igreja tenha a fé fundante de Pedro e a ousadia evangélica de Paulo.
A festa dos Apóstolos
alegra todo o mundo
até os seus extremos
com júbilo profundo.
Louvamos Pedro e Paulo, 
por Cristo consagrados
colunas das Igrejas
no sangue derramado.
São duas oliveiras
diante do Senhor, 
brilhantes candelabros
de esplêndido fulgor.
Do céu luzeiros claros,
desatam todo laço
de culpa, abrindo aos santos
de Deus o eterno Paço.
Ao Pai louvor e glória
nos tempos sem fronteiras.
Império a vós, o Filho,
beleza verdadeira.
Poder ao Santo Espírito,
Amor e Sumo Bem.
Louvores à Trindade
nos séculos. Amém.
(Hino da Liturgia da Horas)


FONTES ;
http://noticias.terra.com.br/educacao/dia-de-sao-joao-veja-curiosidades-da-festa-junina,
http://brasilescola.uol.com.br/detalhes-festa-junina

Um comentário: