segunda-feira, 17 de abril de 2017

DINÂMICA PARA APRESENTAÇÃO OU DESCONTRAÇÃO : AUTÓGRAFO OU SELFIE OBJETIVO: AJUDAR AS PESSOAS SE CONHECEREM , DESCONTRAIR, DESINIBIR O AMBIENTE, FACILITAR O ENTROSAMENTO INICIAL

DINÂMICA PARA APRESENTAÇÃO OU DESCONTRAÇÃO :

 AUTÓGRAFO OU SELFIE


OBJETIVO: AJUDAR AS PESSOAS SE CONHECEREM , DESCONTRAIR, DESINIBIR O AMBIENTE,  FACILITAR O ENTROSAMENTO INICIAL
PARA QUANTAS PESSOAS: NO MÍNIMO 10 PESSOAS
MATERIAL NECESSÁRIO:
- UMA FOLHA EM BRANCO NO PRÓPRIO CADERNO
- UM LÁPIS OU CANETA PARA CADA UM
- OU CELULAR PARA SELFIE
- UM APITO PARA O COORDENADOR
DURAÇÃO : 20  MINUTOS, MAIS QUE ISSO PODE SE TORNAR CANSATIVO.
COMO O COORDENADOR DEVE APLICAR A DINÂMICA:
- O COORDENADOR EXPLICA AOS PARTICIPANTES QUE AGORA SE INICIA UM MOMENTO EM QUE TODOS TERÃO A GRANDE CHANCE DE SE CONHECEREM.
- CADA UM DEVE ENCONTRAR O MÁXIMO DE  PESSOAS QUE SE ENCAIXEM EM CADA MISSÃO QUE SERÁ DADA E PEDIR  QUE LHE DÊ UM AUTÓGRAFO OU A CONVIDE PARA UMA SELFIE.
- ATENÇÃO COORDENADOR , DÊ UM PRAZO PEQUENO PARA CADA “MISSÃO”, UM OU DOIS MINUTOS – APÓS O TEMPO DECORRIDO APITAR E SEGUIR PARA A PRÓXIMA MISSÃO.

ATENÇÃO : PARA ANIMAR A GALERA,  O COORDENADOR DEVE DIZER QUE “VENCERÁ AQUELE QUE ALCANÇAR O MAIOR NÚMERO DE SELFIE OU AUTÓGRAFO”, MAS NA VERDADE NÃO HAVERÁ VENCEDORES, NÃO TEM COMO O PROFESSOR FICAR CONFERINDO OS AUTÓGRAFOS OU SELFIES. APENAS DIGA   QUE O OBJETIVO FOI ALCANÇADO : QUASE TODOS SAÍRAM EM BUSCA DE NOMES E SELFIES E ACABARAM SE CONHECENDO OU SE JÁ SE CONHECIAM ACABARAM  DESCONTRAINDO MAIS E ALEGRANDO O ENCONTRO. ERA ESTE O OBJETIVO DA BRINCADEIRA OU DINÂMICA.
-----------------------------------------------------
INICIANDO:
-O COORDENADOR  DEVERÁ SEMPRE INICIAR CADA PERGUNTA ( DE 1 A 10)  DIZENDO : VOCÊ DEVERÁ ENCONTRAR ALGUÉM  QUE .........  E PEDIR SEU AUTÓGRAFO OU FAZER UMA SELFIE COM O MÁXIMO DE  PESSOAS.
OBS: AS QUESTÕES PODERÃO SER ELABORADAS NO MOMENTO DO ENCONTRO DE ACORDO COM AS CARACTERÍSTICAS ENCONTRADAS NAS PESSOAS...

SUGESTÕES :
1-    ENCONTRAR ALGUÉM  QUE ESTEJA COM ESTEJA COM BONÉ E PEDIR SEU AUTÓGRAFO OU FAZER UMA SELFIE.
2-    ENCONTRAR ....... QUE ESTEJA USANDO UM RELÓGIO E PEDIR ...
3-    ENCONTAR .... QUE VOCÊ AINDA NÃO CONHEÇA...
4-    ENCONTRAR ... QUE SEJA NOVATO NA ESCOLA...
5-    ENCONTRAR .... QUE USE ÓCULOS...
6-    ENCONTRAR ... QUE ESTEJA COM A ROUPA DE “TAL COR”...
7-    ENCONTRAR ... QUE POSSUA DOIS NOMES ( LUIS FELIPE, ANA LUIZA, ETC)...
8-    ENCONTRAR O MAIS ALTO DA TURMA ( ESSA GERA UM POUCO DE TUMULTO, MAS DESCONTRAI)...
9-    ENCONTRAR .... QUE ESTEJA COM O TÊNIS “TAL E DE TAL COR”...
10- ENCONTRAR ... O PROFESSOR E PEDIR SEU AUTÓGRAFO OU FAZER UMA SELFIE ( ESSA TAMBÉM GERA UM POUCO DE TUMULTO, MAS DESCONTRAI, NÃO É PRECISO ESPERAR PARA DAR AUTÓGRAFOS OU SELFIES – QUANDO OBSERVAR QUE TODOS OS ALUNOS JÁ VIERAM ATÉ VOCÊ DÊ ALGUNS AUTÓGRAFOS OU SELFIES E ENCERRE)


FINALIZAÇÃO:

1-      Que esteja com alguma peça de roupa branca:
________________________________________________________________
2-      que more perto da Igreja:
________________________________________________________________
3-       cujo primeiro nome tenha mais de seis letras____________________________
___________________________________________________________________
4-      que use óculos____________________________________________________
      ___________________________________________________________________
5-       que esteja com a roupa da mesma cor que a sua_________________________
      ___________________________________________________________________
6-      que tenha a mesma idade que você____________________________________
___________________________________________________________________
7-      que esteja usando um crucifixo _______________________________________
___________________________________________________________________
8- que você ainda não conheça __________________________________________
___________________________________________________________________
9-    que lhe pareça engraçado (a) _________________________________________
10- que seja canhota ___________________________________________________
___________________________________________________________________










quarta-feira, 22 de março de 2017

ESTRATÉGIAS PARA O ALUNO “QUE NÃO GOSTA DE ESTUDAR” VENCER A "BATALHA" / Se você está pendurado em alguma matéria, está na hora de travar uma boa batalha : 1- TENHA COMO OBJETIVO ESTUDAR : Pense no seu objetivo , trace-o, escreva-o, deseje-o , queira-o como nunca quis algo na vida .... agora sim , com certeza irá alcançá-lo.





ESTRATÉGIAS  PARA O ALUNO  “QUE NÃO GOSTA DE ESTUDAR” VENCER  A "BATALHA"
                                           Professora  Marizete Cajaíba

SE VOCÊ NÃO GOSTA DE ESTUDAR  ESTÁ NA HORA DE TRAVAR UMA BOA BATALHA ... FIQUE LIGADO NAS DICAS:
A dificuldade não está no estudo, mas no isolamento e na concentração que esta atividade exige.

Inúmeras crianças e adolescentes não detestam tanto assim os estudos, o que eles detestam mesmo é ficar sozinhos e isolados da casa e do resto do mundo. 
Para muitos estudantes, “estudar” funciona como um castigo, e então, o resultado é catastrófico. Entretanto, estudar exige um certo recolhimento, uma concentração, um pouco de silêncio, um isolamento interior, para entrarmos em contato com nossos pensamentos, ideias, conhecimentos prévios e reflexões pessoais. Isto é um hábito que se adquire com o tempo, com a prática. E é justamente esse hábito do recolhimento e do isolamento interno que está faltando aos nossos alunos atuais. É por isso que dizemos que "não gostam de estudar". Na realidade, eles não têm o hábito da concentração, da reflexão. Querem fazer tudo de preferência, com a maior rapidez possível. 
E AQUI CHEGAMOS AO PONTO QUE NOS INTERESSA: COMO ADQUIRIR O HÁBITO DE ESTUDAR


1- TENHA COMO OBJETIVO ESTUDAR : Você não é responsável por tudo que acontece a sua vida, porém, só conseguirá interferir positivamente nos fatos se assumir a responsabilidade sobre sua participação. Essa atitude tem importância vital em seus resultados. Quando você for atrás de seus objetivos vai ver como isso é fantástico.
PENSE  NO SEU OBJETIVO ,  TRACE-O, ESCREVA-O, DESEJE-O , QUEIRA-O COMO NUNCA QUIS ALGO NA VIDA .... AGORA SIM , COM CERTEZA IRÁ ALCANÇÁ-LO.

2- ESTUDAR É MESMO UMA OBRIGAÇÃO – não pense que todos estudam  “morrendo de alegria”... É ENCARAR A VERDADE E ASSUMI-LA : nem sempre vamos trabalhar por que queremos trabalhar, nem sempre acordamos cedo porque queremos acordar ... há coisas na vida que são obrigações e temos que aprender a cumpri-las ou algo vai dar errado.

3- CUMPRIR OBRIGAÇÕES : todos nós em algum momento na nossa vida temos “obrigações”, que é aquilo que você faz por que “tem que fazer”, não pode ser adiado, não pode ser deixado para depois. Portanto, obrigação é algo que se você não fizer, haverá conseqüências. VAMOS VER O SIGNIFICADO  DE OBRIGAÇÃO : ato de obrigar; o fato de estar obrigado a; dever, o que passou a ser necessário para alguém.
Mais cedo ou mais tarde, você aprenderá o que é isso com a vida.

4- VOCÊ TEM UMA META?! VOCÊ TEM UM COMPROMISSO COM SEUS ESTUDOS?! PREPARE-SE PARA  ALCANÇAR uma meta, TENHA O COMPROMISSO DE ESTUDAR : se você tiver um objetivo em mente, usará sua energia na direção certa e verá como será possível alcançá-lo. Ao fazermos algo queremos muito, a própria caminhada rumo ao objetivo nos dá prazer e motivação para continuar. Quando você estuda em função de uma meta, os estudos tomam outro sentido e passam a ter significado para você. Dará muito mais prazer acordar cedo, ir à escola passa a ter um significado ( até então era quase um castigo)

5- NÃO SE COMPARE COM NINGUÉM, A NÃO SER COM VOCÊ MESMO : As metas devem ser traçadas para superar seus próprios limites e não dos outros, deverá se basear no seu histórico de vida e necessidades pessoais. E se você realmente quiser ter um bom resultado  vai ter que apresentar ao mundo a melhor versão de si mesmo. A melhor versão de si mesmo não é diferente de você. É o melhor  que já existe em você, mas não está sendo valorizado. 
Te faço um convite à reflexão. Pare e pense: quem sou eu no meu melhor? Em que situações você se entrega para alcançar bons resultados?! Por que não aplicar essas estratégias nos seus estudos?! Jogue fora tudo que te impede de ser você mesmo. Seja o seu melhor.

6-  AO SE SENTAR PARA ESTUDAR, BLINDE-SE: TOPA ESQUECER ALGUMAS COISAS QUE VOCÊ AINDA NÃO FOI CAPAZ DE ABRIR MÃO EM TROCA DOS SEUS ESTUDOS?

Aquilo que te dá mais prazer, ao qual você está trocando as obrigações de estudar : whatsapp, Facebook, You Tube, vídeo games, jogos on line ,encontro com a galera, filmes e séries da Netflix, sonecas intermináveis, preguiça mesmo, etc . Esse momento deve estar livre de distrações tecnológicas que não tenham a ver com o que está sendo estudado.
FAÇA UMA LISTA E VEJA DE QUE PODERIA ABRIR MÃO, POLICIE-SE PARA NÃO CAIR EM TENTAÇÃO.

- REDES SOCIAIS,  Facebook , twitter whatsapp, instagram, snapchat, etc não resta dúvida são muito boas, mas toma muito o seu tempo e você quando percebe, lá se foram 2, 3 horas ou mais  ... imponha horário e limite de tempo. Deixe isso sem medida para o final de semana .
- INTERNET : Quando você vai para a internet, não tem limites, então amigo : NÃO VÁ!!!!
 - CELULAR : chega WHATSAPP a  todo instante, chega de ficar horas ligando , só porque o plano cobre, chega de ficar  jogando ou ouvindo música ...
 - VÍDEO-GAME: Isso não te pertence mais !!! Qualquer tipo de jogo, afaste-se deles durante a semana de estudos... Jogos  mobilie como Clash Royal, Quiz Up, Candy Crush, por exemplo , são verdadeiras armadilhas  ... se você acha que vai jogar somente meia-hora , de boa: não vai não. É melhor não cair em tentação, deixe-os para o final de semana.
 - AMIZADES : Cuidado , quem é amigo de verdade, te ajuda para a melhor. De boa: converse com seus amigos e peça-lhes um tempo. Ou melhor se tiver um amigo que está disposto a estudar contigo, beleza!
-TELEVISÃO, NET FLIX, YOU TUBE , MÚSICAS :  controle-se... primeiro a obrigação depois a diversão . Lembre-se você tem um objetivo, uma meta, eles podem te desviar da obrigação  de estudar.
SONINHO DA TARDE DOSADO : chegou da escola, almoce, descanse de 40 min a 1 hora, mais que isso, estragará Seus planos para estudar . Coloque na sua cabeça  já “antes do soninho” que dormirá só um pouquinho e assim que o celular despertar ou a mãe chamar, pule da cama ou do sofá, tome um banho e comece o contra-ataque.

 7 -  HORÁRIO PARA DORMIR  : Tenha um horário para dormir, nada de deixar  para estudar no fim da noite, depois de ter feito tudo aquilo que dá prazer ... seu cérebro já está cansado e não vai querer aprender mais nada !!! De boa, fixe um horário limite para ir  dormir, no início vai ser um pouco difícil, mas rapidinho você verá que não será sacrifício nenhum e os resultados serão : você acordará mais disposto, você ficará mais esperto durante as aulas – muitas vezes – se você dorme bem a noite, o soninho da tarde nem surge.

8 - LIMITES: Aprenda que tudo tem limite ,  vida só de prazeres , sem obrigações, não dá pra viver assim... até não querer estudar, tem limite.
Quem não possui uma disciplina regular dentro de casa, também terá dificuldades em seguir regras em outros contextos. As regras precisam ser aprendidas, assim como as hierarquias. O controle interno é construído a partir do controle externo, e este precisa ser bem claro. Enfim, o papel dos limites vai muito além da necessidade de controle, ele está a serviço do desenvolvimento saudável  e precisa ser exercitado diariamente!
Este assunto é amplo e  complexo, tem muitos conteúdos para serem discutidos, mas não aqui, ou dessa vez.

 9-  OBEDEÇA REGRAS : 
Quem lhe impõe regras ? Pais, professores , tias, avós ?! Então, se há regras, se você é um pouco esperto , para o seu bem e o bem de todos , há de cumpri-las. Pense o que acontece quando você cria uma insatisfação com os pais ou seus responsáveis por não querer cumprir regras. Saiba que eu tenho regras, o trânsito tem regras, o piloto de avião tem regras... o aconteceria se todos resolvessem não cumpri-las?! O que aconteceu com o time Chapecoense em novembro de 2016, foi por falta de regras.... Nooooossa!!!
A RELAÇÃO DO QUE PODEMOS OU NÃO FAZER É GRANDE E VARIA DE UM LUGAR PARA O OUTRO. ALIÁS, AS REGRAS ESTÃO POR TODAS AS PARTES: EM CASA, NA SALA DE AULA, PARQUES, RUAS, RESTAURANTES, SHOPPINGS E ATÉ NAS BRINCADEIRAS.
Desde que nascemos, precisamos respeitar regras que são impostas pelos adultos. E, por mais incrível que possa parecer, elas nos fazem sentir seguros.
Algumas normas aprendemos sem perceber, à medida que crescemos. É o caso de escovar os dentes, tomar banho, colocar agasalhos em dias gelados e comer alimentos saudáveis.
A função dos adultos é controlar nossos impulsos (vontades que surgem de repente) e ensinar o que é legal fazer para viver bem em sociedade e também o que pode prejudicar esse convívio.
E a verdade é que quanto mais o tempo passa, mais regras temos que obedecer, por isso o hábito de fazer as coisas certas diariamente ajuda a se tornar mais responsável e competente no futuro.

10 - USE O TEMPO QUE ESTÁ NA SALA DE AULA A SEU FAVOR, prestando atenção às aulas:
Sabe-se, de um lado, que a escola e o professor têm o papel de oferecer as condições e ferramentas necessárias para proporcionar o melhor aprendizado possível aos estudantes.
De outro, no entanto, não há dúvida de que a instituição não tem o poder de forçar o aluno a fazer uso desses recursos. Logo, a responsabilidade de aproveitar ao máximo o que a escola e seus educadores oferecem — envolvendo-se nas aulas, participando das atividades propostas e estudando também em casa — é outra que recai sobre o aluno.

11- ORGANIZE UMA ROTINA DIÁRIA  DE ESTUDOS
Estudar um pouco a cada dia permite que o cérebro organize as informações para que sejam facilmente acessadas quando necessário.
 Estudar toda a matéria no dia anterior da prova pode até gerar algum aprendizado, mas não há tempo hábil para a organização do conteúdo. Isso causa a sensação de branco, já que ele sabe que estudou, mas não consegue encontrar a resposta na hora da prova.
Organize uma rotina de estudos de forma que a cada dia  estude cada  matéria dada durante as aulas. Desta forma, quando chegar o dia da prova, bastará uma revisão, pois o conhecimento já estará assimilado e organizado de maneira que possa ser acessado quando for necessário. ESSE HÁBITO PODE SER ADQUIRIDO COM UM POUCO DE ESFORÇO.

12- ESTABELEÇA UM LOCAL DE ESTUDOS EM CASA : Estabeleça um local de estudos na sua casa, onde você possa se sentar e estudar. Um local bem iluminado, confortável e calmo é o ideal.

13- CONHEÇA SEU ESTILO DE ESTUDO

Não fique tentando se encaixar em um estilo que te enjoa e cansa . Encontre a melhor maneira para estudar . O modo convencional, ele pode não funcionar para você.


14- PLANEJE O DIA SEGUINTE

Assim que terminar de estudar , procure arrumar os materiais que vai usar no dia seguinte, como organizar a mochila com os cadernos e livros das respectivas disciplinas, guardar os trabalhos ,etc .


DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM , ESSA É UMA OUTRA HISTÓRIA...
Em toda sala de aula, há estudantes que aprendem com mais facilidade e outros que têm dificuldade para acompanhar as lições. Ninguém está a salvo de tirar notas baixas vez ou outra.
As dificuldades no aprendizado podem decorrer de falhas no método de ensino e no ambiente escolar. Também podem pesar fatores relacionados à vida familiar e a condições psicológicas do aluno.
É mais comum se deparar com problemas do sistema educacional. Por exemplo, há casos de alunos  que não sabiam ler e escrever direito porque nunca ninguém tinha sentado com eles e ensinado. Apenas isso. Não tinham nenhum transtorno. Foi só dar atenção, usar o método adequado, e eles aprenderam.” NOS TRANSTORNOS OU DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM, há problemas em áreas específicas do cérebro. “Há uma característica de origem genética, neurobiológica.

MAS O QUE FAZER QUANDO OS PROBLEMAS SÃO PERSISTENTES? Há quem fique anos sem conseguir se adaptar ao ritmo das turmas ou mesmo aprender o básico – ler e escrever. Pais e professores são os primeiros a perceber sinais de que algo não vai bem. Porém, nem sempre conseguem identificar as causas do problema.
As dificuldades podem advir de fatores orgânicos ou mesmo emocionais e é importante que sejam descobertas a fim de auxiliar o desenvolvimento do processo educativo, percebendo se estão associadas à preguiça, cansaço, sono, tristeza, agitação, desordem, dentre outros, considerados fatores que também desmotivam o aprendizado.

Um aluno  que não lida bem com a leitura e com a escrita, que não se vale disso como uma ferramenta eficaz, não tem como entender história, geografia, matemática e todo o conteúdo escolar.

A dificuldade mais conhecida e que vem tendo grande repercussão na atualidade é a dislexia, porém, é necessário estarmos atentos a outros sérios problemas: disgrafia, discalculia, dislalia, disortografia e o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Porém, antes de lançar qualquer possibilidade de diagnóstico, é preciso que o aluno passe uma avaliação especializada com profissionais da área de saúde.
A velocidade e facilidade com que os problemas de aprendizagem serão resolvidos dependerão do caso, da competência do psicopedagogo, do apoio que esse aluno recebe das pessoas que estão ao seu redor.

SAIBA MAIS SOBRE PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM 

:http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2012/08/como-detectar-transtornos-de-aprendizagem.html
http://appprova.com.br/2016/08/09/dificuldade-de-aprendizagem/

sábado, 11 de fevereiro de 2017

OS PAIS E AS DIFICULDADES COTIDIANAS DE SE EDUCAR OS FILHOS / Mediante as dificuldades cotidianas de se educar os filhos, vê-se a necessidade de agir com maior rigor, utilizando-se de um planejamento a ser compreendido e discutido entre todos aqueles que convivem com as crianças./ ALGUNS PONTOS-CHAVE NO PROCESSO DE EDUCAÇÃO. /Faz-se necessária a lembrança de que a educação infantil deve acontecer em casa, e que à escola compete a formação acadêmica, acrescida de alguns valores.

OS PAIS E AS DIFICULDADES COTIDIANAS
DE SE EDUCAR OS FILHOS

Mediante as dificuldades cotidianas de se educar os filhos, vê-se a necessidade de agir com maior rigor, utilizando-se de um planejamento a ser compreendido e discutido entre todos aqueles que convivem com as crianças.
É importante criar um método que ajude no processo educacional dos filhos. Não obstante, agir organizadamente traz mais harmonia para dentro dos lares, além de gerar a gostosa sensação de se estar cumprindo a vital missão: educar o ser humano para uma vida mais plena.
Faz-se necessária a lembrança de que a educação infantil deve acontecer em casa, e que à escola compete a formação acadêmica, acrescida de alguns valores. Portanto, é um casamento de forças educacionais e não um jogo de empurra-empurra, no qual a criança deixa de ser educada e de quebra sente-se um transtorno.
 A educação leva tempo, não ocorre da noite para o dia. Ela é um processo. Não somos máquinas programáveis, somos gente, que necessita de desenvolvimento e maturidade para tornar a vida melhor.
Os últimos tempos têm dado amostras de resultados desastrosos de uma educação com baixos limites em sua estrutura, além da bola-de-neve dos relacionamentos ruins que são desenvolvidos, parte como consequência deste equívoco.
DESTACAM-SE ALGUNS PONTOS-CHAVE NO PROCESSO DE EDUCAÇÃO.
ELES DETERMINAM O GRAU DE ÊXITO EM CADA CASO. SÃO O SACRIFÍCIO, ACORDO, OBJETIVOS, CONHECIMENTO, PACIÊNCIA, FIRMEZA E PERSEVERANÇA. ACRESCENTE OUTROS ITENS QUE DESEJAR E MELHORE AINDA MAIS ESTE ENCONTRO DE BOA VONTADE NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS.
1. SACRIFÍCIO: A tarefa da Educação requer sacrifícios como o da paciência, perseverança e firmeza. Tudo tem um preço na vida. Compreender o resultado do sacrifício ajuda a tornar o custo mais leve. Há tempos as pessoas evitam os sacrifícios, cujo termo significa: privação de coisa apreciada.
2. ACORDO: Todos os cuidadores precisam conhecer e estar de acordo, e agir em parceria. Assim, a força estará concentrada na união e na aprovação sobre a forma de se educar, em comum acordo. A criança percebe o conjunto coerente.
3. OBJETIVOS: Estas tarefas de Educação visam a educar a criança e, consequentemente, trazem mais harmonia para o lar. Todos devem ter conhecimento acerca do que se pretende com a educação.
4. CONHECIMENTO: A criança, a partir de 2 anos de idade aproximadamente, testará e contestará os pais, utilizando-se da famosa birra (choro, esperneação, etc) como instrumento para esta finalidade "Quem não chora, não mama".
5. PACIÊNCIA: Sem a paciência desistimos de nossos projetos, com ela, nos alimentamos diariamente, dando forças para a firmeza.
6. FIRMEZA: Manter a prática firme da educação e criar o seu hábito levam a consistência e a segurança da criança. Lembre-se que o tempo gera o hábito. O hábito gera economia.
7. PERSEVERANÇA: No dia.a.dia é que se constrói a educação, portanto, a sua manutenção persistente é fundamental. A constância permite um resultado bem melhor.
VALE LEMBRAR A QUESTÃO HUMANA PRESENTE NA VIDA FAMILIAR: o quanto se está envolvido com os filhos e as influências causadas nos pais em virtude de seus comportamentos. Ou seja, tolera-se ou não certos comportamentos infantis de acordo com algumas experiências passadas dos pais, tais como o choro, as dificuldades, etc. Os pais podem estar "cegos" mediante certos comportamentos dos filhos.
A história de vida é singular. Cada um tem a sua, inclusive a criança. Misturar as estações só dificultará o processo educacional, e de convivência. Não é tarefa fácil, todavia vale a pena.

OUTRA QUESTÃO É O SENTIMENTO DE CULPA  COMUM NOS PAIS, em virtude do pouco tempo que passam juntos com os seus filhos, pelo baixo ânimo e paciência que oferecem após um dia de exaustivo trabalho, além do acúmulo de noites mal dormidas, etc. No entanto, a culpa apenas dificulta a educação, diminuindo as chances de se praticar o que é necessário. Os pais acabam invertendo as prioridades, dão o que não deve, a exemplo dos presentes.
 Não compre os filhos com coisas, compartilhe educação.
ALGUMAS REGRAS COLABORAM NO PROCESSO DA EDUCAÇÃO INFANTIL:
·         Estar disposto a certos sacrifícios.
·         Manter comunicação constante. As conversas fazem parte da educação.
·         Não atender as birras, mas aos pedidos.
·         Expor à criança que só será atendida se pedir em tom de voz normal.
·         Evite usar os personagens de televisão para amedrontar ou punir os filhos, faz mais sentido alegar que são os pais ou cuidadores que estão educando.
·         Não voltar atrás.
·         Oferecer algum tempo diário para se dedicar aos filhos, carinho, brincadeiras, etc.
·         Evite a contradição entre o que é dito pelos pais. A criança se sente confusa e dividida.
·         Os pais são o modelo a ser seguido. Pense que tipo de modelo é o seu.
·         Não acredite que o tempo, por si só, dará jeito na situação. Não haveria sentido em existir a educação.

O PEDIDO DE SOCORRO EMITIDO PELOS PAIS É COMPREENSÍVEL, PORÉM, A CRIANÇA TAMBÉM GRITA POR AJUDA.
 A birra é uma forma de saciar os prazeres infantis, entretanto, quando atendida, ela agrada e ao mesmo tempo gera um mal estar na criança, que precisa de educação. Quando nos sentimos sem apoio (limites), a angústia é a sensação que expressa tais circunstâncias.
O sacrifício de manter a educação é a luta diária que cabe aos pais, e que tem como recompensa a boa formação. Sacrifício requer uma cota de entrega.
 Em Efésios 5:2  temos: "e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave".
Pense profundamente sobre a entrega que deseja empreender.
O método que persiste é aliviado pelo tempo.
A criança aprende e cria os seus mecanismos próprios. Creia nela e em suas possibilidades de educação.

Autora: Armando Correa de Siqueira Neto

FONTE:

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

QUATRO DICAS ESSENCIAIS PARA GERIR CONFLITOS EM SALA DE AULA / Muitos desses conflitos são gerados porque alunos e, muitas vezes, os professores não sabem lidar com as emoções no auge do conflito. Desta forma, o que seria simplesmente resolvido de maneira pacífica passa a ser um entrave na relação aluno professor. DIANTE DISSO, O QUE PODE SER FEITO? COMO TER DOMÍNIO DO QUE SAI DO CONTROLE?

QUATRO DICAS ESSENCIAIS PARA GERIR CONFLITOS EM SALA DE AULA 
 Gisele Vitório
Conflitos em sala de aula são cada vez mais comuns e em inúmeras situações as reações são as mais surpreendentes possíveis, pois vão desde o silêncio, passando pelas lágrimas de medo durante os conflitos até a explosão de raiva que parte para a agressão física.

Muitos desses conflitos são gerados porque alunos e, muitas vezes, os professores não sabem lidar com as emoções no auge do conflito.
Desta forma, o que seria simplesmente resolvido de maneira pacífica passa a ser um entrave na relação aluno professor.
DIANTE DISSO, O QUE PODE SER FEITO? COMO TER DOMÍNIO DO QUE SAI DO CONTROLE?

Alguns caminhos são eficientes para gerir um conflito em sala de aula e a maioria deles começa antes mesmo do conflito. Veja abaixo algumas dicas:

1.    OBSERVE: Enquanto educadora, percebo que um conflito não começa quando as emoções negativas se tornam visíveis a todos, portanto, é importante estar atento às anormalidades em sala de aula.
Sempre foi possível verificar que os alunos tem um comportamento padrão, portanto, quando algo atípico acontecia na sala, era perceptível. Um aluno que interage bastante, por exemplo, se está quieto é por que tem algo de anormal em seu comportamento comum e por isso precisa ser melhor observado.

2.    DESENVOLVA A EMPATIA: Devemos sempre considerar que o aluno tem problemas, como qualquer outro indivíduo e por isso merece todo o respeito. Entender isso é o começo de uma relação mais eficiente entre as partes.
Ter um olhar sobre os problemas e não sobre o aluno como “Aluno-Problema” auxilia no relacionamento entre as partes.
Um bom exemplo disso é que se um estudante está tendo dificuldades para dormir em casa devido a problemas familiares, acabará irritado no dia seguinte e poderá ser mais agressivo em sala de aula. O caminho é a comunicação. Um bom professor sempre vai escutar seu aluno, procurando ter empatia pela situação dele.

3.    FAÇA DO PROBLEMA UM APRENDIZADO: Um bom caminho é fazer do problema do aluno uma situação contextualizada no aprendizado.
Se um professor de Geografia consegue trabalhar os problemas urbanos em sala de aula de maneira a contextualizar a situação do aluno que convive em uma comunidade de difícil acesso ele está mostrando ao estudante que o conhecimento prévio adquirido durante sua vida é importante para a formação escolar.
 O aluno terá maiores possibilidades de verificar resolução para seu problema, bem como entenderá o respeito que o professor tem por ele.

4.    SEJA POSITIVO E MANTENHA A CALMA: A última dica é sempre manter-se positivo, mesmo nas situações mais críticas.
Quase todo professor passa por um desgaste muito grande até porque são muitos os desafios enfrentados diariamente, mas ser positivo e encarar com mais leveza o cotidiano escolar tornam o ambiente mais agradável.
O único sorriso que seu aluno tem, muitas vezes é o seu, Professor!
Procure sorrir e tenha a certeza de que o retorno do seu sorriso, mesmo se tratando do aluno mais complicado, será sempre um sorriso.


fonte:

http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=2823

sábado, 31 de dezembro de 2016

12 hábitos para você eliminar e viver realmente mais feliz com a família

12 hábitos para você eliminar e 

viver realmente mais feliz com a família

 Juliano Primavesi






Não é de hoje que somos obcecados pela Felicidade. Não é invenção que grandes sucessos do cinema tem essa temática: “À procura da Felicidade”, contando a trajetória do Chris Gardner; o indicado ao Óscar “Patch Adams – O Amor é Contagioso”; o vencedor do Óscar “A Vida É Bela”, que conta a história do Guido, mandado para um campo de concentração na Segunda Guerra Mundial; “A Vida Secreta de Walter Mitty”, que nos inspira a sonhar junto com o protagonista.
Imagine agora como está o seu nível de felicidade hoje?
 de 0 a 100, que nota você se dá?
Se você se deu 100, Parabéns, espero hoje, humildemente conseguir te ajudar a passar de 100. Se alguns pontos podem ser melhorados no seu estado permanente de felicidade, dá uma lida nas coisas fascinantes sobre felicidade que eu descobri, digo, Psicólogos da Universidade da Califórnia descobriram, que podem mudar a tua vida hoje.
Dra. Sonja Lyubomirsky é uma professora de psicologia no campus de Riverside, que é conhecida entre seus colegas como “a rainha da felicidade.” Ela começou a estudar a felicidade quando era estudante de graduação e nunca mais parou, dedicando sua carreira ao assunto.
Uma de suas principais descobertas é que todos nós temos um “ponto de ajuste individual” de felicidade. Quando eventos extremamente positivos ou extremamente negativos acontecem – como a compra de uma casa maior ou perder o emprego – eles podem temporariamente aumentar ou diminuir o nosso ponto de ajuste de felicidade, mas, após um tempo, que pode ser de até 2 meses, nosso nível de felicidade volta ao nível de antes dos eventos.
O avanço na pesquisa da Dra. Lyubomirsky é que você pode tornar-se mais feliz – permanentemente   Lyubomirsky e outros descobriram que o nosso ponto de ajuste genético é responsável por apenas cerca de 50 por cento da nossa felicidade.
O ambiente e circunstâncias de vida afetam cerca de 10%
 e os 40% restantes é totalmente por nossas atitudes. 
Ou seja, Lyubomirsky, cientificamente chegou à conclusão que você é diretamente responsável por pelo menos 50% do seu nível de felicidade, sendo determinada por seus hábitos, atitude e visão da vida. 
Já dizia Aristóteles, que “A felicidade depende de nós mesmos.”
Mesmo quando você realizar algo grande, a alta no teu nível de felicidade não vai durar. A realização não vai fazer você feliz por conta própria; você tem que trabalhar para fazer e manter-se feliz.
Agora anota essa: a sua felicidade, ou a falta dela, está enraizada em seus hábitos. Adotar novos hábitos permanentes – especialmente aqueles que envolvem coisas intangíveis, como a forma como você vê o mundo, pode ser difícil, mas eliminar  hábitos que te fazem infeliz é muito mais fácil.
Existem inúmeros maus hábitos que tendem a nos tornar infelizes. 
Erradicar esses hábitos ruins, pode mover o teu ponto de felicidade rapidamente – desde que você tenha persistência em erradicar os hábitos ruins da sua vida até que seja natural você não os ter.

SÃO ELES:

1. Isolar-se

Isolar-se do contato social é uma resposta bastante comum para se sentir infeliz, mas há um grande número de pesquisas que chegaram à conclusão de que é a pior coisa que você pode fazer
Existe um ditado inglês que é pertinentemente espetacular: “Fake it until you become it” – vou falar mais sobre isso em outro dia – que significa “Finja até que você se torne isso”
Isso foi provado cientificamente pela Amy Cuddy, pesquisadora de Harvard
O ponto onde eu quero chegar é que socializar com outras pessoas mesmo se você não gosta, vai ser ótimo para o teu humor.

 Eu também tive aqueles dias em que a única vontade que tinha, era de puxar as cobertas sobre a cabeça e não falar com ninguém, mas no momento que isso se torna uma tendência, ela destrói o seu humor, a sua felicidade e a sua vida.
Reconheça que, quando a infelicidade está fazendo você um ser anti-social, você precisa se forçar a sair e se misturar com outras pessoas.
 Você vai notar a diferença imediatamente. Se você se identificou, termina de ler esse post e sai pra rua. Chama um amigo, amiga e sai daí para comemorar a tua felicidade! 
E repete amanhã, e depois, e semana que vem, e mês que vem… 

2. Culpar

Para sermos felizes, precisamos nos sentir no controle de nossas vidas, e é por isso que culpar é incompatível com a felicidade. 
Quando você culpa outras pessoas ou circunstâncias pelas coisas ruins que acontecem com você, você decidiu que você não tem controle sobre sua vida, o que é terrível para o seu humor – para a sua felicidade, e para a sua vida. Se você se identificou, anota aí para repetir todos os dias quando acorda: 
Eu sou responsável por todos os acontecimentos, bons e ruins, que acontecem comigo” e “Tudo acontece por uma razão e propósito, e isso me serve positivamente“. 

3. Controlar

É difícil ser feliz sem se sentir no controle de sua vida, mas, se você tentar controlar demais, o controle também pode te tornar infeliz. 
Isso é especialmente verdadeiro com nós, seres humanos pensantes. Anota isso: a única pessoa que você pode controlar em sua vida é você
Quando você sentir o desejo persistente de ditar o comportamento de outras pessoas,  isso irá inevitavelmente torná-lo infeliz. Mesmo se você pode controlar alguém no curto prazo, que normalmente requer pressão sob a forma de força ou medo, tratar as pessoas desta forma não vai deixar você sentir bem consigo mesmo.
 A exceção é se você for um líder de equipe, e nesse caso precisa controlar o resultado do teu time, mas não as pessoas. 
Esse hábito é um tanto difícil de detectar por si só, mas com a ajuda de outras pessoas, pode ser mais fácil perceber. Alguns signos tem uma paixão especial por controlar, mas isso é assunto para os sites relacionados com astrologia. 

4. Criticar

Julgar outras pessoas e falar mal delas é muito parecido com se entupir com uma sobremesa ruim; você se sente bem, enquanto você está fazendo isso, mas depois, você se sente culpado e doente. 
 Sociopatas encontram verdadeiro prazer em ser mau. 
Para o resto de nós, criticar outras pessoas (em público, em privado ou para nós mesmos) é apenas um hábito ruim que tem a intenção de nos fazer sentir melhor sobre nós mesmos. Infelizmente, isso não acontece bem assim. 
Apenas cria uma espiral de negatividade. Você quer saber se sofre desse mal? 

Se você tem medo da crítica dos outros sobre o que você faz ou deixa de fazer, então certamente você é um crítico e deve cortar esse mal pela raiz. 
Quando pensar em criticar alguém ou alguma coisa, troca de assunto. Se tiver em uma roda de pessoas onde o assunto for criticar alguém, procura levantar o lado positivo, ou sai. Sinceramente, criticar outras pessoas não vai melhorar em nada a tua vida.
 Vivemos hoje em uma época de grande crítica política, econômica e social. 
Quer minha dica de ouro?
Existem tantas coisas boas para investir o teu tempo, como ler bons livros, que não vale a pena entrar nessa onda de críticas. 
Você pode estar pensando: eu sou líder de um time de pessoas e preciso passar um feedback negativo para elas. 
Ok, nesse caso, você vai se reunir a sós com a pessoa cujas ações precisam ser corrigidas. Deixe claro que é para o crescimento dela, seja justo nas suas colocações, e estará livre da praga da crítica.  

5. Queixar-se

Queixar-se é preocupante, bem como a atitude que precede a reclamação. Queixar-se é um comportamento de auto-reforço.
 Por estar constantemente falando – e pensando – sobre como as coisas estão ruins, você reafirma as suas próprias crenças negativas. 
Falar sobre o que incomoda você, pode ajudá-lo a se sentir melhor, mas cuidado: há uma linha tênue entre a reclamação terapêutica e alimentar tua infelicidade. 
Lembra de uma coisa: você atrai aquilo que você pensa.
 Você aumenta aquilo que você foca. Somos humanos, erramos, às vezes somos preguiçosos, e você pode não gostar disso.
 Uma reclamação construtiva eventual não vai fazer mal. Mas o hábito de queixar-se de tudo que acontece de ruim, esteja você envolvido ou não, é prejudicial à tua própria saúde e felicidade, uma vez que certamente, você passará a atrair mais situações que levem você a queixar-se de algo.

 Sabe como eu sei disso? 
Por que eu também eventualmente, atraio situações em me desagradam, mas diariamente eu venho melhorando, repetindo para mim mesmo:

 “Eu atraio situações e pessoas que tornam a minha mais fácil, divertida e lucrativa“.
 E tem funcionado muito bem. Você prefere repetir e acreditar em uma afirmação, ou continuar queixando-se das coisas ruins da tua vida?

6. Impressionar

As pessoas vão gostar das suas roupas, do seu carro, e do que você contar de bom do seu trabalho (ninguém conta a parte ruim), mas isso não significa que eles gostam de você. 

Tentar impressionar outras pessoas é uma fonte de infelicidade gigante, porque você acha que é feliz, mas na realidade, é tudo artificial! 
Procure pessoas que gostem de você e te aceitem pelo que você é.

Todas as coisas que você adquire na busca de impressionar outras pessoas não vão fazer você feliz. Há um oceano de pesquisa que mostra que coisas materiais não nos faz felizes.
Quando você cria o hábito de possuir  coisas, você é suscetível a se tornar infeliz, porque, além da decepção que você pode  ter depois de obter as coisas (logo logo acaba o encanto), você vai descobrir que o que realmente tras a felicidade, não custa nada: são os amigos de verdade, a família, e cuidar bem de si mesmo. 
Não significa que você deve deixar de almejar um carro bom, uma casa maior, um trabalho melhor ou roupas novas: apenas não se iluda, isso não vai fazer as pessoas gostarem verdadeiramente de você.

7. Pessimismo

A vida nem sempre vai acontecer do jeito que você quer, mas quando você está pra baixo, você tem as mesmas 24 horas no dia como todas as outras pessoas.
As pessoas felizes fazem o seu tempo: em vez de reclamar sobre como as coisas poderiam ter sido ou deveria ter sido, eles refletem sobre tudo pelo que são gratos. 
Em seguida, elas encontram a melhor solução disponível para o problema, resolvem, e seguem em frente. 

Anota isso: o mais poderoso combustível da face da Terra para a infelicidade é o pessimismo.
 O problema com uma atitude pessimista, além do dano que faz no seu humor, é que se torna uma profecia auto-realizável: se você espera que coisas ruins aconteçam, é mais provável conseguir coisas ruins. 
Pensamentos pessimistas são difíceis de sacudir até reconhecer o quão ilógico que eles são. Olhe melhor para os fatos, e você vai ver que as coisas não são tão ruins quanto parecem. Poderia ser bem pior. 
Agradeça por isso e siga em frente. Sempre vai ter alguém em situação pior do que você, e você deve ser grato pelo que tem hoje, pelo que já teve, e por ter aprendido o que aprendeu, pois nem todos tem acesso à mesma informação.

8. Saia de perto das pessoas negativas.

Você é a média das 5 pessoas com as quais mais convive. Eu não inventei isso. O Jim Rohn escreveu.  Ele é autor de “12 pilares” e “As sete estratégias para a prosperidade e a felicidade”, considerado o maior Filósofo de Negócios dos Estados Unidos.
Pessoas negativas são más notícias, porque elas chafurdam nos seus problemas e não conseguem se concentrar em soluções.
 Eles querem que as pessoas participem da sua visão negativa da vida para que eles possam se sentir melhor sobre si mesmos. Você certamente já destinou teu tempo para ouvir queixosos, afinal você não quer ser vistos como insensível ou rude, mas cuidado: há uma linha tênue entre emprestar o teu ouvido simpático e ser sugado para o maldito fosso emocional negativo da outra pessoa. 
Você pode evitar ser sugado para a visão negativa da vida estabelecendo limites e distanciando-se  das pessoas negativas quando achar necessário. Pense desta forma: se uma pessoa estivesse fumando, você ia sentar lá durante toda a tarde inalar a fumaça passivamente? NÃO! Você iria afastar-se, até chegar o ponto de precisar ir embora. 
Anota isso: você deve fazer o mesmo com pessoas negativas. Uma ótima maneira de estabelecer limites para o lero-lero de negatividade, é perguntar como eles pretendem corrigir os seus problemas.
 O reclamante, deveria então mudar o foco do problema para a solução, direcionando a conversa em uma direção produtiva – ou continuar o antro de negatividade.
Você deve se esforçar para se cercar de pessoas que inspiram você, pessoas que fazem você querer ser melhor, e você provavelmente já faz isso. Mas o que acontece com as pessoas que te arrastam para baixo? 
Por que você permite que elas sejam uma parte da sua vida? Qualquer um que faz você se sentir inútil, ansioso, ou sem inspiração é desperdício do seu tempo e, muito possivelmente, você pode vir a se tornar como eles.
 A vida é muito curta para associar-se com pessoas assim. 

9. Comparar a sua própria vida com a vida que as pessoas retratam nas mídias sociais.

A Happiness Research Institute  conduziu o experimento no Facebook para descobrir como os nossos hábitos nas mídias sociais afetam nossa felicidade. Durante o estudo, metade dos participantes foram mantidos usando o Facebook como fariam normalmente, enquanto a outra metade ficou sem Facebook (uau!) por uma semana.
 É claro que os resultados foram surpreendentes: no final da semana, os participantes que ficaram sem Facebook, relataram um significativamente maior grau de satisfação com a vida e níveis mais baixos de tristeza e solidão. 
Os pesquisadores também concluíram que as pessoas que continuaram acessando o Facebook, eram 55% mais propensos a sentir o estresse como resultado.
Uma coisa para lembrar sobre o Facebook e outras mídias sociais em geral é que eles raramente representam a realidade
Comercial de Margarina é a minha definição: ninguém escreve que brigou com a família, a vida está uma merda ou que está em uma maré de má sorte, como acontece com todos, inclusive comigo eventualmente. É natural, somos humanos, mas não mostramos o lado ruim da nossa vida nas mídias sociais. 
Se não temos nada de bom para publicar, publicamos dos outros; se temos algo de bom, opa, isso vai para o Facebook! Por isso, a pior coisa que você pode fazer é comparar a sua vida (e incrivelmente, só fazemos isso quando estamos “pra baixo”) com o que as outras pessoas publicam nas mídias sociais. 
O que eu te sugiro: evita ficar ainda pior, se for para se comparar com o lado bom dos outros, compara o teu lado bom, não a tua situação ruim. O que eu mais gosto é comparar eu com eu mesmo no mês passado, no ano passado.
 Isso realmente eleva meu nível de felicidade, pois nestes períodos, estou sempre crescendo. Você não lembra do que comeu ontem? Eu também não, mas diariamente, eu anoto pelo menos 5 dos meus sucessos – coisas que eu me orgulho de ter feito, inclusive levar minha filha no colégio. 
Quando estou com algum revés emocional, leio meus sucessos dos últimos dias e me motivo para alcançar mais de 5 sucessos hoje. Bem melhor do que olhar os comerciais de margarina publicados no Facebook.

10. Não definir metas.

Se você leu meu post da semana passada, sobre como montar um planejamento de metas diárias, leia depois! Ter objetivos te dá esperança e a capacidade de olhar para a frente para um futuro melhor
 Trabalhar em direção às metas faz você se sentir bem sobre si mesmo e suas habilidades. É importante definir metas que são desafiadoras, específicas (e mensuráveis), e conduzidas através dos teus valores pessoais. 
Sem objetivos, você só vai se arrastar ao longo da vida, perguntando por que as coisas nunca mudam. Mudar para onde? – A vida vai te perguntar. 

11. Ceder para o medo.

O medo é nada mais do que uma emoção persistente que é alimentada por sua imaginação de que existe um perigo real. É a pressa desconfortável de adrenalina que você começa quando você dá um passo na frente de um ônibus lotado e sem freios. O medo é uma escolha. 
As pessoas felizes sabem disso melhor do que ninguém, pois são viciados na sensação de euforia que vivenciam ao conquistar seus medos. 
Você se lembra da última vez em que sozinho ou com a ajuda de outras pessoas lhe dando apoio, você venceu algum medo?  
Não tenha medo de correr riscos. Eu ouvi muitas vezes as pessoas dizerem: “Qual é a pior coisa que pode acontecer com você? A Morte?”.
 No entanto, a morte não é a pior coisa que pode acontecer com você. A pior coisa que pode acontecer com você é você permitir a morte crescendo dentro de você, enquanto você ainda está vivo. Sabe qual o maior medo das pessoas em todo o mundo? 
Falar em público. Se você não acredita, basta acessar o google e procurar por “medo falar em público” ou melhor ainda, “fear public speaking”. 
Agora eu quero que você tome uma decisão: não vai deixar de fazer NADA por medo. Se tiver dificuldade para isso, não desanima, continua.
 Você só precisa de uma vitória para ter certeza de que pode alcançar mais resultados. Em breve, farei um artigo para te ajudar nisso.   

12. Viver longe do presente.

Como o medo, o passado e o futuro são produtos de sua mente, nenhuma quantidade de culpa pode mudar o passado, e nenhuma quantidade de ansiedade pode mudar o futuro. As pessoas felizes sabem disso, então eles se concentram em viver AGORA.
 É impossível atingir seu pleno potencial, se você está constantemente em outro lugar, incapaz de abraçar plenamente a realidade (boa ou má) do exato momento presente. Para viver no momento, você deve fazer duas coisas:
1) Aceitar o seu passado. Se você não fizer as pazes com seu passado, ele nunca vai deixar você e ele irá criar o seu futuro. As pessoas felizes sabem que a única boa razão para olhar para o passado é para ver até onde você veio. E DEU.
2) Aceitar a incerteza do futuro, e não coloque expectativas desnecessárias sobre si mesmo. A preocupação não tem lugar no aqui e agora. Como Mark Twain disse uma vez: “Preocupar-se é como pagar uma dívida que você não deve.”
Crie metas para o teu futuro, mas viva no presente, pois se você não fizer nada hoje, as metas não vão se realizar sozinhas. 
Também de nada adianta colocar metas impossíveis de serem realizadas. Sonhe alto, sonhe grande, mas de acordo com o tamanho das tuas pernas. 
Sonhar e escrever tuas metas alguns centímetros além das tuas possibilidades vai gerar a necessidade de aprender mais, crescer mais, para alcançar mais. 
Sonhe grande, mas com os pés no chão.
Quer uma dica para voltar para o presente? Repita as seguintes frases:
Onde estou? Aqui
Que horas são? Agora
Repita até se sentir aqui, agora, no presente.

Juntando tudo

Nós não podemos controlar nossos genes, e não podemos controlar todo o nosso ambiente, mas podemos nos livrar de hábitos que servem apenas para o propósito de nos fazer infelizes.
Seja feliz.
Obrigado! FONTE : https://www.riquezasemlimites.com.br/12-habitos-para-voce-eliminar-e-ser-realmente-mais-feliz/