domingo, 20 de março de 2016

TERCEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL : TAMBÉM CHAMADA DE REVOLUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA E INFORMACIONAL - características essenciais e informações atualizadas / INVENÇÕES MODERNAS /

TERCEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A TERCEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL, TAMBÉM CHAMADA DE REVOLUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA E INFORMACIONAL

A Terceira Revolução Industrial, também conhecida por Revolução Técnico-Científica e Informacional, é um processo de inovação tecnológica marcado pelos avanços no campo da informática, da robótica, das telecomunicações, dos transportes, da biotecnologia e química fina, além da nanotecnologia.
Sabemos que a Primeira Revolução Industrial, cuja ocorrência se deu nos séculos XVIII e XIX, ocorreu com a adoção de técnicas e maquinários para acelerar e ampliar o processo produtivo, dos quais se destacavam a máquina a vapor e, como fonte de energia, o carvão. Já a Segunda Revolução Industrial, por sua vez, ocorreu ao final do século XIX e durante quase todo o século XX, através da adoção de máquinas e motores mais sofisticados e equipamentos movidos a energia elétrica e, principalmente, a petróleo.

Dessa forma, podemos perceber que, à medida que as inovações ou revoluções industriais ocorrem, mais as técnicas se tornam avançadas e mais qualificação na mão de obra é exigida. Por outro lado, observa-se um intenso processo de mecanização e substituição do homem pela máquina, gerando desempregos estruturais no setor industrial, transferindo boa parte dos trabalhadores para o setor terciário (comércio e serviços em geral), em um processo denominado por terceirização da economia.

REVOLUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA : ALTERAÇÃO NOS MODOS DE PRODUÇÃO


Há o crescente uso de recursos da informática nos processos de produção industrial, como por exemplo a robótica. Além disso, diminui o emprego de mão de obra humana que passa a ser substituída pelas máquinas, por sistemas automatizados, computadores e robôs industriais. O uso da tecnologia nos processos de produção visam diminuir os custos e o tempo de produção, e há o desenvolvimento da biotecnologia, ampliando a produção da indústria de medicamentos. Ocorre a massificação dos produtos tecnológicos ligados aos meios de comunicação e internet no início do séc. XXI como os celulares, notebooks e tablets. Nesta fase ainda ocorre o aumento da consciência ambiental a partir da década de 1980 e algumas indústrias passam a buscar processos sem ou com baixo impacto ambiental. 

DESCENTRALIZAÇÃO INDUSTRIAL

Outro aspecto importante é a descentralização industrial. Isso acontece porque as inovações nas técnicas de comunicação e transporte (como a internet e o avião a jato) permitem que as indústrias migrem para qualquer região que lhe seja vantajosa, onde encontram matérias-primas abundantes, mão de obra mais barata, leis ambientais menos eficientes e um maior e mais amplo mercado consumidor. Isso caracteriza a base para a expansão das multinacionais, embora o surgimento dessas tenha ocorrido antes da Terceira Revolução Industrial.

DESVALORIZAÇÃO  DOS PRODUTOS PRIMÁRIOS

Além disso, observa-se atualmente uma desvalorização da maioria dos produtos primários, em virtude dos avanços na produção, que permitem maior eficácia na reciclagem e a substituição de materiais mais caros por fontes economicamente mais rentáveis e abundantes (como as ligas metálicas em substituição ao aço e ao bronze).

A INDUSTRIALIZAÇÃO NÃO É HOMOGÊNEA ENTRE OS PAÍSES DO MUNDO

Por fim, é importante considerar que as sucessivas revoluções industriais não ocorreram ou ocorrem de forma homogênea pelo mundo.
 Algumas regiões do globo, por exemplo, ainda passam pela implementação da Segunda Revolução Industrial (como alguns países na América Central, na África e no Sul da Ásia), outros sequer industrializados são. Na verdade, a maior parte dos empreendimentos tecnológicos que fundamentam a Revolução Técnico-Científica encontra-se restritos a países desenvolvidos, sendo que a sua implementação nos países periféricos ocorre somente através de multinacionais, em que a produção migra, mas a tecnologia em si não.
A Revolução Técnico-científico-informacional ou Terceira Revolução Industrial entrou em vigor na segunda metade do século XX, principalmente a partir da década de 1970, quando houve uma série de descobertas e evoluções no campo tecnológico.

ENORME QUANTIDADE DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÃO

Essa nova etapa de produção está vinculada à inserção de uma enorme quantidade de tecnologia e informação. Essa revolução, por sua vez, está ligada diretamente à informática, robótica, telecomunicação, química, uso de novos materiais, biotecnologia, engenharia genética, entre muitos outros, que recentemente fazem parte de praticamente todos os segmentos produtivos que marcam essa etapa, assim como outros fatos marcaram as revoluções industriais do passado.

ITENS INDISPENSÁVEIS NA ECONOMIA CONTEMPORÂNEA


Essa revolução é um dos principais combustíveis para o desenvolvimento do capitalismo moderno e especialmente do processo de globalização que visa uma flexibilidade de informações, além de um acelerado dinamismo no fluxo de capitais e mercadorias. Diante dessa afirmativa, veja a seguir alguns itens indispensáveis na economia contemporânea.

1- TECNOLOGIAS LIGADAS ÀS TELECOMUNICAÇÕES: antenas via satélite, torres de telefonia móvel, cabos de fibra óptica, redes de computadores, satélites, satélites de tv e rádio e tudo que possibilita a velocidade das informações e automaticamente dos capitais e bens. A partir desses elementos, um investidor pode facilmente diagnosticar os riscos que um determinado país pode oferecer, então certamente não será o foco de tal investimento. Nesse mesmo sentido é possível realizar transações econômicas em vários níveis sem sair do lugar, isso através do teclado ou de um mouse de computador.




2- INFRAESTRUTURA EM TRANSPORTES: mesmo com o incremento das telecomunicações, o transporte é de suma importância nessa etapa industrial. Atualmente não há tempo a esperar, pois o mercado é extremamente dinâmico e requer velocidade, uma vez que esse está cada vez mais exigente. Desse modo, para cumprir compromissos de entrega de matéria-prima ou mesmo de mercadorias é preciso ter um aparato logístico que garanta os fluxos oriundos das indústrias. Diante disso, o que facilita o dinamismo nesse sentido é a infraestrutura, como aeroportos, portos, rodovias, entre outros.

3- PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA LIGADA AO DESENVOLVIMENTO de práticas vinculadas à pecuária e à agricultura de precisão, que tem sua base na biotecnologia, gerando uma produtividade elevada e baixos custos ao produtor.

4- INDÚSTRIAS COM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO que utilizam uma restrita mão de obra, uma vez que o processo produtivo é executado pela robótica, além de todos os setores econômico-financeiros que ingressaram em um profundo processo de modernização em suas funções e procedimentos, a fim de atender as exigências e também competir em um mercado que cada vez é mais forte.








A TERCEIRA REVOLUÇÃO OU REVOLUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL TEM COMO BASE PRIMORDIAL A INFORMAÇÃO


A Terceira Revolução ou Revolução Técnico-científico-informacional tem como base primordial a informação. Essa está ligada ao conhecimento de inúmeras ciências que, com o objetivo de atender os interesses econômicos, estão à disposição dos donos dos meios de produção. Um exemplo disso é o microchip que, apesar de ter na sua composição pouquíssimo material, possui um grande valor agregado, uma vez que para ser concebido foram necessários anos de estudos e pesquisas, e são justamente as informações inseridas no produto que conduzem à essa importante etapa pela qual a sociedade atravessa.

AS INVENÇÕES E DESCOBERTAS


Muitas invenções e descobertas no campo da ciência e tecnologia ocorreram de 1950 até nossos dias. Entre elas estão:
- novas ligas metálicas que permitiram avanços na metalurgia e na construção de aeronaves;
- progresso na eletrônica, permitindo o aparecimento da computação e automação no processo produtivo;
- uso da energia atômica para fins pacíficos, como a produção de eletricidade (usinas termo nucleares), em equipamentos médicos entre outros;
- desenvolvimento da biotecnologia -Entende-se por biotecnologia o conjunto de técnicas que envolvem a manipulação de organismos vivos para a obtenção de produtos específicos ou modificação de produtos . A biotecnologia engloba conhecimento das áreas de microbiologia, genética, bioquímica, biologia molecular, química e informática. A introdução da informática ajudou na evolução das técnicas permitindo a automação, demonstrando que a ciência e a tecnologia , quando trabalham juntas, trazem muitos benefícios á todos.

- desenvolvimento  da engenharia genética-
Engenharia genética pode ser definida como o conjunto de técnicas capazes de permitir a identificação, manipulação e multiplicação de genes dos organismos vivos. Através desta nova ciência é possível a manipulação do DNA, ou seja, do ácido desoxirribonuclético que existe nas células dos seres vivos e assim recombinar genes, alterando-os, trocando-os ou adicionando genes de diferentes origens e criando novas formas de vida. A engenharia genética possibilita:
  - Mapear o sequenciamento do genoma das espécies animais, incluindo o ser humano (Genoma Humano) e dos vegetais;
  - A criação de seres clonados (copiados);
  - Desenvolver a terapia genética;
  - Produzir seres transgênicos.


- conquista espacial, com a descida do homem na Lua, foguetes, estações espaciais, ônibus, satélites artificiais, sondas para estudo de planetas e satélites.
A Terceira Revolução Industrial ganhou destaque a partir dos avanços tecnológicos e científicos na indústria, mas também abrange progressos na agricultura, na pecuária, no comércio e na prestação de serviços.
Enfim, todos os setores da economia se beneficiaram com as novas conquistas produzidas através de grandes investimentos empregados nos centros de pesquisas dos países desenvolvidos.



PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA TERCEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL:


- Utilização de várias fontes de energia (antigas e novas): petróleo, energia hidrelétrica, nuclear, eólica, etc. Passa a aumentar, principalmente a partir da década de 1990, a preocupação com a diminuição do uso das fontes de energia poluidoras e aumento da energia limpa.
- Uso crescente de recursos da informática nos processos de produção industrial. A Robótica é o principal exemplo.
- Diminuição crescente do emprego de mão-de-obra humana (principalmente em tarefas braçais), sendo substituída pelas máquinas, sistemas automatizados, computadores e robôs industriais.
- Uso de tecnologias no processo de produção, visando diminuir os custos e o tempo de produção.
- Ampliação dos direitos trabalhistas.
- Globalização: produção de produtos com peças fabricadas em várias partes do mundo.
- Desenvolvimento da Biotecnologia, ampliando a produção da indústria de medicamente e melhorando a qualidade e eficiência.
- Surgimento, na década de 1970, de novas potências industriais e econômicas como, por exemplo, Alemanha e Japão. Neste cenário, já na década de 1990, aparece a China.
- Massificação dos produtos tecnológicos, ligados aos meios de comunicação e Internet, no começo do século XXI. Exemplos: telefones celulares, computadores pessoais, notebooks, tablets e smartfones.
- Aumento da consciência ambiental, a partir da década de 1980, por grande parte das indústrias, que passam a buscar processos produtivos sem ou com baixo impacto ambiental. 

A PRODUÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS


A Terceira Revolução Industrial ou Revolução Técnico-científica permitiu o desenvolvimento de atividades na indústria que aplicam tecnologias de ponta em todas as etapas produtivas. A produção de tecnologias é um ramo que apresenta como um dos mais promissores no âmbito global.

Essa nova fase produtiva não se limita a produtos de pouco valor agregado, como nas revoluções industriais anteriores, pelo contrário, o conhecimento inserido, no qual foram gastos anos de estudos e pesquisas, agregam elevados valores no produto final, mesmo que tenha sido gastos pouca quantidade de matéria-prima.

Nesse sentido, as atividades que mais se destacam no mercado estão vinculadas à produção de computadores, softwares, microeletrônica, chips, transistores, circuitos eletrônicos, além da robótica com grande aceitação nas indústrias, telecomunicações, informática em geral. Destacam-se ainda a expansão de transmissores de rádio e televisão, telefonia fixa, móvel e internet, indústria aeroespacial, biotecnologia e muitas outras inovações.

É bom ressaltar que a inovação de um dos itens citados contribui diretamente ou indiretamente para o desenvolvimento de outro, desse modo, fica evidente que ocorre uma intensa interdependência entre eles.

No mundo capitalista, a inserção de tecnologias e o aprimoramento constante da mesma promovem uma dinamização produtiva, intensifica o trabalho, cria produtos e mercadorias de maior qualidade para concorrer em um mercado cada vez mais competitivo, gera diminuição de custos. Esse processo desencadeia uma enorme acumulação de capitais pelos donos dos meios de produção que posteriormente serão usados para realizar investimentos no desenvolvimento de novos produtos e na geração de inéditas tecnologias de ponta, sempre a serviço da indústria.


PRINCIPAIS INVENÇÕES TECNOLÓGICAS DESTE PERÍODO:




- Robôs industriais
- Satélites de telecomunicações
- Computador Pessoal (PC)
- Caixa eletrônico
- Telefone Celular
- Tablet
- Softwares
- Sistema de GPS
- Tecnologias automotivas
Assim, considerando que a Terceira Revolução Industrial é a mais recente dinâmica de transformação dos sistemas produtivos, podemos dizer que ela ainda está sendo vivenciada nos dias atuais. Cada novo aparelho tecnológico descoberto e lançado no mercado é, dessa forma, um novo capítulo dentro desse episódio histórico.
Um exemplo disso foi a invenção das impressoras 3D que fazem cada vez mais sucesso e já provaram do que são capazes. Elas podem criar desde objetos mais complexos até os mais simples, de maneira eficiente e, muitas vezes, mais barata. 
Não somente objetos pequenos e compactos podem ser criados pelas impressoras 3D. Depois da Airbike, a bicicleta feita de nylon, chegou a vez de criar nada mais, nada menos que um carro usando a tecnologia. O veículo foi apresentado na mostra internacional Manufactoring Technology Show, em setembro de 2014, e teve seu test drive feito por jornalistas americanos nas ruas de Nova York. O mais inusitado é que o carro pode ser derretido para dar forma a um novo.











Outra invenção atual são drones, com um controle via rádio, você pode manobrar um drone sem tocar nele. No geral, estes aparelhos são concebidos para realizar tarefas arriscadas ao ser humano ou ferramentas para trabalhos que ninguém quer realizar.Essas características ajudam a entender como esses equipamentos se tornaram muito comuns entre aparatos militares e de vigilância. No entanto, há aplicações mais pacíficas, como no uso profissional de fotógrafos, resgates e limpeza de lixo tóxico. 

A Revolução Técnico-Científica também foi responsável pela total integração entre a ciência, a tecnologia e a produção. 
Hoje, as descobertas científicas encontram-se, em grande parte, voltadas para o mercado. Quando uma inovação é realizada, especula-se como aquilo poderá transformar o cotidiano das pessoas. Quando um novo aparelho ou tecnologia são inventados, já se contam as horas para que ele esteja nas prateleiras para consumo.

COMO EXEMPLOS DA TERCEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL TEMOS:
- a informática, que produz computadores, e softwares;
- a microeletrônica, que fabrica chips, transistores e produtos eletrônicos;
- a robótica, que cria robôs para uso industrial;
- as telecomunicações, que viabilizam as transmissões de rádio e televisão, telefonia fixa e móvel e a Internet; - a indústria aeroespacial, que fabrica satélites artificiais e aviões; e a biotecnologia, que produz medicamentos, plantas e animais manipulados geneticamente
É importante sabermos que as tecnologias em cada um desses setores são imprescindíveis para os avanços nos demais, ocorrendo uma estreita relação de interdependência entre suas formas de aplicação. Nas sociedades capitalistas, sobretudo nas mais industrializadas, a criação de tecnologias altamente sofisticadas melhora o desempenho e a produtividade do trabalho, cria produtos de melhor qualidade e barateia os custos de produção das empresas.


ECONOMIA DE MERCADO, E SUA INTEGRAÇÃO MUNDIAL:   GLOBALIZAÇÃO

Esse processo também foi o responsável pela instrumentalização da economia financeira, mais conhecida por Economia de Mercado, e sua integração mundial, vinculada ao que chamamos de Globalização.
 Isso porque ela propiciou o máximo desenvolvimento nos meios de comunicação e transporte, que alcançaram proporções jamais vistas anteriormente. As grandes distâncias e obstáculos, que antes separavam países e regiões, não representam mais os mesmos desafios de outrora.

A difusão dos serviços de telefonia por cabos oceânicos ou por meio de satélites, a informatização das empresas e a transmissão de dados pela Internet permitem, por exemplo, a integração simultânea entre sedes de indústrias, bancos e bolsas de valores do mundo todo. O transporte em massa de pessoas e mercadorias por navios e aviões de grande porte tornou muito mais intensos os negócios empresariais e o comércio internacional.

Dessa forma as grandes distancias deixaram de construir obstáculos para uma integração mais afetiva entre as nações. Criaram-se, assim, as condições necessárias para a expansão do  capitalismo em nível planetário, principalmente por meio da implantação de filiais das grandes empresas multinacionais, até mesmo em países menos avançados ou de economia não capitalista.

O processo da Terceira Revolução Industrial, que se desencadeou nas ultimas décadas do século XX, foi decisivo para consolidar a presente fase do capitalismo e da divisão internacional do trabalho, a chamada globalização. Esta tem servido para interligar ainda mais o espaço geográfico mundial, intensificando as relações econômicas e culturais entre os países. Por isso, muitos estudiosos analisam o mundo atual como um espaço interligado e globalizado, o espaço global.

Um exemplo disso é o fato de que, no sistema de aviação, os voos cuja trajetória ultrapassam as 12 horas de duração (desconsiderando as escalas)  são considerados de “longa duração”. Antigamente, levavam-se dias para que uma pessoa se deslocasse de uma cidade para outra, e meses, ou até anos, quando a distância envolvia países distantes. Atualmente, um dos voos comerciais mais longos do mundo, o que liga a cidade de Newark (EUA) a Singapura, possui a “longa” duração de 18 horas e meia.

DESSA FORMA, ENTRE AS PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS DA  TERCEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL, PODEMOS DESTACAR:

a) os rápidos avanços e desenvolvimento nos setores de Ciência e Tecnologia;
b) a consolidação do sistema capitalista financeiro;
c) a formação e expansão das multinacionais ou empresas globais;
 d) a relativa descentralização industrial (não há mais a necessidade de as indústrias estarem uma do lado da outra, apesar de isso ainda ser comum);
 e) a flexibilização do trabalho ou Toyotismo;
f) a tercerização da economia.

Sobre esse último ponto, é importante destacar que ele é decorrente do processo de substituição do homem pela máquina. Isso ocorre, principalmente, nos setores primário e secundário da economia, isto é, na exploração dos recursos naturais e na agropecuária, além da produção nas fábricas e indústrias. Dessa forma, o setor terciário (que envolve o comércio, os serviços, as administrações públicas, a educação, a saúde, entre outros) oferece a maior parte dos empregos, que, em geral, disponibilizam benefícios salariais menores e dificultam a capacidade de organização dos trabalhadores. Nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 70% da massa de assalariados encontra-se no setor terciário; no Brasil, esse quantitativo já ultrapassou os 50% e continua se expandindo.

O QUE SE PODE NOTAR, DESSA FORMA, É QUE AS TRANSFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS NÃO TRANSFORMAM SOMENTE AS INDÚSTRIAS E OS MEIOS DE PRODUÇÃO, MAS TAMBÉM O PRÓPRIO ESPAÇO GEOGRÁFICO E AS RELAÇÕES HUMANAS, SEJAM EM ÂMBITO ESTRUTURAL, SEJAM EM ÂMBITO CULTURAL.


As novas máquinas são capazes de realizar funções que vão desde a extração de matéria-prima até a distribuição do produto final e a realização de serviços. Os computadores e robôs não são usados para criar novos produtos, como os teares a vapor ou os tornos movidos a motor elétrico, mas, sim, para desempenhar atividades antes executadas por pessoas.

As empresas multinacionais e de informatização, ao substituírem a mão-de-obra humana, contribuem para a eliminação de postos de trabalho, o que amplia o desemprego. Em muitos ramos, quase desapareceram os operários tradicionais. 
Em outras palavras, as novas tecnologias de produção, somadas a diversas razões de ordem econômica e social, podem levar ao fim de uma sociedade organizada com base no trabalho humano.
Vale lembrar que, atualmente, o mundo ruma na direção da Quarta Revolução Industrial. Estamos ingressando numa revolução que mobiliza as ciências da vida, sob a forma da biotecnologia, assim como várias áreas das ciências exatas e de outros ramos do conhecimento, e que responde pelo nome de nanociência ou nanotecnologia.

FOTOS ILUSTRATIVAS : GOOGLE




Um comentário:

  1. Essa matéria é muito interessante e está ajudando muitas pessoas!:D

    ResponderExcluir