terça-feira, 29 de abril de 2014

05 DE JUNHO : DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE - / Trocar a sacola de plástico pela retornável / CAMPANHA “SACO É UM SACO !” " QUANTAS SACOLAS DESCARTÁVEIS VOCÊ RECUSA POR DIA? Incentive seus familiares e amigos a preservar o planeta para as futuras gerações. A natureza agradece.


  Por isso recuse, sempre, as sacolas descartáveis.  Recusou uma sacola descartável no supermercado, na farmácia, na padaria ou numa loja? Ótimo! Ponto para você e dez pontos para o meio ambiente .







 O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) devem lançar, em 2014, uma nova campanha de redução do uso de sacolas plásticas. Aproveitarão o sucesso da campanha “Saco é um saco”, que, em 2010, possibilitou a redução do consumo de 5 bilhões de unidades e iniciou uma mudança de atitude por parte dos consumidores.

CAMPANHA “SACO É UM SACO !”
" QUANTAS SACOLAS DESCARTÁVEIS VOCÊ     RECUSA POR DIA?
A proposta é incentivar a discussão e a reflexão a respeito de um problema tão sério como a proliferação das sacolas descartáveis, a partir do seu uso indiscriminado e irresponsável.
     Precisamos, realmente, de tantas sacolas – feitas de plástico e de outros materiais igualmente nocivos ao meio ambiente? Será que precisamos delas para carregar qualquer produto que compramos ou, mesmo, para forrar latas de lixo? Por que não as substituímos por sacolas retornáveis – de pano, de lona vinílica (muito usada em banner promocionais) ou outros materiais recicláveis – que podem estar sempre à mão na bolsa ou no carro? Essa é a provocação que fazemos.
      Recusou uma sacola descartável no supermercado, na farmácia, na padaria ou numa loja? Ótimo! Divulgue esta ideia em casa, para seus amigos e colegas de trabalho ou da escola, em seu condomínio, no bairro...
     É preciso um  incentivo para pensarmos na questão e colaborar para diminuir a utilização de sacolas descartáveis, sobretudo as que são feitas de plástico”. Cada um que recusar uma sacola, com certeza vai ajudar a fazer uma grande diferença no processo de conscientização”.
     Há  urgência em eliminarmos - ou, pelo menos, reduzirmos - o uso das sacolas descartáveis . Vale a pena o pequeno esforço de levar sacolas permanentes ou caixas de papelão para colocar as compras do supermercado ou recusar sacola para colocar apenas um livro ou um shampo, -que podem ser colocados diretamente na bolsa.  O que importa é o resultado que se obtém da iniciativa: a redução da agressão ao meio ambiente.
     Alguns países já entraram nessa , mas no Brasil, ainda não há registro de cobrança legal quanto a isso, há apenas algumas pessoas que aos poucos vão entrando nessa -  as vezes se sentindo alvo de olhares por estarem dispensando as sacolas descartáveis.
      Mas já existem algumas iniciativas interessantes: no ano passado, em Santa Catarina, a ACATS - Associação Catarinense de Supermercados liderou uma campanha para incentivar os supermercados a abandoná-las de vez.
      Em junho deste ano, foi a vez do governo se manifestar: o Ministério do Meio Ambiente - MMA lançou a campanha “Saco é um saco”, focando diretamente no consumo das sacolas plásticas. E a tendência é que esse tipo de manifestação cresça, cada vez mais. Afinal, as sacolas descartáveis ocupam espaço considerável nos aterros sanitários e lixões, onde demoram cerca de 400 anos para se decompor e ainda entulham ruas e parques e poluem os oceanos, matando os animais - baleias, focas, golfinhos, tartarugas e aves, só para citar alguns - que as engolem porque as confundem com alimento.
     Assusta pensar na quantidade de sacolinhas que circulam pelo planeta anualmente:  no mundo, são produzidas de 500 bilhões a 1 trilhão de sacolas plásticas - só no Brasil, são 12 bilhões.  As sacolas descartadas incorretamente entopem bueiros e poluem rios, lagos e mares. Dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) indicam que sacolas plásticas estão chegando a locais distantes, considerados paraísos ecológicos e turísticos. Em outras palavras, as sacolas plásticas estão em todo lugar! é o resíduo que mais polui as cidades. Prejudica a vida animal, entopem a drenagem urbana, rios, contribuindo para inundações.
      Hoje, a sacola descartável está presente no cotidiano de pessoas de todas as idades e classes sociais. Para quem vende ou para quem compra, tornou-se automático associar qualquer produto a uma sacola: não só em grandes compras, como também nas pequenas. Quem nunca carregou um simples livro, uma caixa de remédio, uma lata de refrigerante ou qualquer objeto solitário numa sacola descartável?
     Mas o que o MMA aponta como a maior causa para sua proliferação é seu uso para forrar latas de lixo – seja em casa, na escola, em banheiros, nos escritórios... ou então , apenas para ter sacolas em casa para caso haja necessidade de se carregar algo. Não é raro cenas em supermercados onde pessoas abocanham uma grande quantidade de sacolas às escondidas ( você já fez isso ou já viu alguém fazer?) Então, está na hora de alterar hábitos.
     Veja mais números e entenda porque é importante recusar o uso de sacolas descartáveis : vamos supor que você use/aceite seis sacolas plásticas por semana. Isso representa cerca de: 24 sacolas plásticas/mês; 228 sacolas/ano; mais de 22 mil ao longo de sua vida.Já imaginou onde vai parar tudo isso?
     Nossas avós não sobreviviam sem as sacolas retornáveis. Na época delas, as de plástico ou de papel não eram utilizadas. Hoje, com o conceito de responsabilidade ambiental, a sacola retornável é uma opção moderna para carregar as compras, de em média 35 quilos, e ainda com um custo ambiental muito baixo.
     Trocar a sacola de plástico pela retornável , além dos benefícios ambientais, diminui também o volume das sacolas plásticas em casa, e você ainda pode desfilar com uma sacola bonita que carrega o consumo consciente!  A moda ainda não pegou por aqui. Pelo resto do mundo, alguns países lutam freneticamente contra as sacolas plásticas: a Europa, por exemplo, cobra pelo uso delas há anos. Nos Estados Unidos e na Austrália, o governo tende a desestimular o uso das descartáveis.
        Incentive seus familiares e amigos a preservar o planeta para as futuras gerações. A natureza agradece.


05 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente
TEXTO REELABORADO POR MARIZETE CAJAÍBA BASEANDO-SE EM INFORMAÇÕES OBTIDAS NAS SEGUINTES FONTES DE PESQUISA:

http://www.sacoeumsaco.gov.br/

meumundosustentavel.com/noticias/saco-e-um-saco/
http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2013/12/campanha-201csaco-e-um-saco201d-volta-em-2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário