quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

QUATRO DICAS ESSENCIAIS PARA GERIR CONFLITOS EM SALA DE AULA / Muitos desses conflitos são gerados porque alunos e, muitas vezes, os professores não sabem lidar com as emoções no auge do conflito. Desta forma, o que seria simplesmente resolvido de maneira pacífica passa a ser um entrave na relação aluno professor. DIANTE DISSO, O QUE PODE SER FEITO? COMO TER DOMÍNIO DO QUE SAI DO CONTROLE?

QUATRO DICAS ESSENCIAIS PARA GERIR CONFLITOS EM SALA DE AULA 
 Gisele Vitório
Conflitos em sala de aula são cada vez mais comuns e em inúmeras situações as reações são as mais surpreendentes possíveis, pois vão desde o silêncio, passando pelas lágrimas de medo durante os conflitos até a explosão de raiva que parte para a agressão física.

Muitos desses conflitos são gerados porque alunos e, muitas vezes, os professores não sabem lidar com as emoções no auge do conflito.
Desta forma, o que seria simplesmente resolvido de maneira pacífica passa a ser um entrave na relação aluno professor.
DIANTE DISSO, O QUE PODE SER FEITO? COMO TER DOMÍNIO DO QUE SAI DO CONTROLE?

Alguns caminhos são eficientes para gerir um conflito em sala de aula e a maioria deles começa antes mesmo do conflito. Veja abaixo algumas dicas:

1.    OBSERVE: Enquanto educadora, percebo que um conflito não começa quando as emoções negativas se tornam visíveis a todos, portanto, é importante estar atento às anormalidades em sala de aula.
Sempre foi possível verificar que os alunos tem um comportamento padrão, portanto, quando algo atípico acontecia na sala, era perceptível. Um aluno que interage bastante, por exemplo, se está quieto é por que tem algo de anormal em seu comportamento comum e por isso precisa ser melhor observado.

2.    DESENVOLVA A EMPATIA: Devemos sempre considerar que o aluno tem problemas, como qualquer outro indivíduo e por isso merece todo o respeito. Entender isso é o começo de uma relação mais eficiente entre as partes.
Ter um olhar sobre os problemas e não sobre o aluno como “Aluno-Problema” auxilia no relacionamento entre as partes.
Um bom exemplo disso é que se um estudante está tendo dificuldades para dormir em casa devido a problemas familiares, acabará irritado no dia seguinte e poderá ser mais agressivo em sala de aula. O caminho é a comunicação. Um bom professor sempre vai escutar seu aluno, procurando ter empatia pela situação dele.

3.    FAÇA DO PROBLEMA UM APRENDIZADO: Um bom caminho é fazer do problema do aluno uma situação contextualizada no aprendizado.
Se um professor de Geografia consegue trabalhar os problemas urbanos em sala de aula de maneira a contextualizar a situação do aluno que convive em uma comunidade de difícil acesso ele está mostrando ao estudante que o conhecimento prévio adquirido durante sua vida é importante para a formação escolar.
 O aluno terá maiores possibilidades de verificar resolução para seu problema, bem como entenderá o respeito que o professor tem por ele.

4.    SEJA POSITIVO E MANTENHA A CALMA: A última dica é sempre manter-se positivo, mesmo nas situações mais críticas.
Quase todo professor passa por um desgaste muito grande até porque são muitos os desafios enfrentados diariamente, mas ser positivo e encarar com mais leveza o cotidiano escolar tornam o ambiente mais agradável.
O único sorriso que seu aluno tem, muitas vezes é o seu, Professor!
Procure sorrir e tenha a certeza de que o retorno do seu sorriso, mesmo se tratando do aluno mais complicado, será sempre um sorriso.


fonte:

http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=2823

VISITE ESTE SITE : http://www.santaajudatecnicasdeestudo.com.br/ e saiba porque é importante aprender a estudar

Nenhum comentário:

Postar um comentário